Uma grande metrópole. Trânsito, contrastes sociais e uma população expressiva. Joanesburgo é a maior cidade da África do Sul e uma das maiores de todo o continente africano. É o centro econômico do país e apesar de não possuir o apelo turístico da Cidade do Cabo, por exemplo, oferece um verdadeiro passeio pela história. Uma visita que vale (muito) a pena!

 

Como chegar

Se você sair do Brasil e o seu primeiro destino for a África do Sul, Joanesburgo será a cidade onde seu vôo aterrissará. Caso contrário, existem trechos frequentes saindo das principais cidades da África como Cidade do Cabo, Windhoek (Namíbia), Gaborone (Botswana) ou Harare (Zimbabwe). Nós chegamos na cidade de duas maneiras: direto de São Paulo, com vôo da Latam, e saindo de Windhoek, com vôo da Air Namíbia. Se quiser economizar, a empresa de transporte rodoviário Intercape  também oferece alguns trechos com um preço acessível. Mas vale lembrar que ela opera apenas na África.

Chegando em Joanesburgo!

 

Hospedagem

A cidade oferece todo o tipo de hospedagem: desde resorts cinco estrelas até aconchegantes hostels. Via Booking, escolhemos o meio termo: o Hotel Troyeville, que apresentou uma diária razoavelmente barata e uma boa localização. Alguns funcionários falavam português (de Moçambique e Angola), mas nem sempre era fácil compreender. A região central de Joanesburgo é um pouco perigosa, mas como não tínhamos a intenção de caminhar, não tivemos problemas. O Hotel também contava com restaurante e bar anexos – o que facilitava na hora do jantar. Era apenas descer as escadas e saborear deliciosos pratos do estabelecimento, que tinha como carro-chefe a culinária portuguesa.

 

Tempo de estadia

Em nossa concepção, três dias em Joanesburgo foram suficientes. Os pontos turísticos que escolhemos conhecer (com exceção do safári) não comprometeram mais que um dia de passeio. Caso você decida fazer safáris com duração de mais de um dia, é só analisar suas necessidades e verificar quantos dias são necessários para usufruir de todas as atrações da cidade.

Safári em Pilanesberg

 

Anúncio




 

O que conhecemos

No primeiro dia, fizemos um safári na reserva de Pilanesberg com a empresa Detour. Como era uma reserva pequena e ficava a aproximadamente 230 km de distância de Joanesburgo, um dia de safári foi o suficiente. No segundo dia, fomos até Maropeng onde fica o Cradle of Humankind (Berço da Humanidade). Cerca de 10 km dali fica o sítio arqueológico Sterkfontein, onde fósseis foram encontrados.

Dica! Se você optar pelo Uber ou táxi, marque com o motorista uma hora para ele retornar e te buscar. Apesar da importância do lugar, a falta de estrutura (do ponto de vista de mobilidade) é lamentável.

Depois fomos até a casa do Mandela, estádio FNB (Soccer City) e Museu do Apartheid. No terceiro dia (também de Uber) conhecemos o Zoológico de Joanesburgo, Nelson Mandela Square e as belas ruas de Melrose Arch. Faltou só subir no Carlton Centre e conhecer o Cassino

Ossos de Homo Naledi expostos em Maropeng

 

Valores das principais atrações

Os preços das atrações turísticas na África, de modo geral, são acessíveis. Uma manhã no Zoológico custou R$20 por pessoa. Tour no estádio FNB, R$30 para duas pessoas – mesmo valor do cobrado para a visita à casa onde viveu Nelson Mandela, em Soweto.  Já no Museu Maropeng, cada ingresso saiu por R$30. Os preços mais salgados ficaram por conta do Uber e do safári: R$200 os trajetos longos que fizemos e R$900 o passeio para conhecer e presenciar os animais em seu habitat natural.

 

Quer saber mais sobre os pontos turísticos de Joanesburgo? Então leia este post!

Você também pode conferir mais dicas sobre o país no conteúdo Dicas para planejar a viagem – África do Sul.

 



Booking.com

Dicas para planejar a viagem – 3 dias em Joanesburgo
Classificado como:                                                

Deixe uma resposta