A moderna Cidade do Cabo é a capital legislativa da África do Sul. É um dos grandes centros comerciais da África, e já de destaca pelo grande fluxo de turistas que recebe todos os anos. Inclusive, ela já tem o turismo como sua principal atividade econômica  – impulsionado, principalmente, por eventos como a  Copa do Mundo de 2010.

Cape Town Stadium

 

Como Chegar

A Cidade do Cabo tem um aeroporto internacional moderno, mais (ainda) não recebe vôos diretos do Brasil. Para quem quiser chegar até lá saindo de São Paulo, por exemplo, Joanesburgo é o destino de chegada. Em seguida, deve-se pegar um vôo com uma das companhias aéreas internas, como a South Africa Airways, Mango Air, Kulula ou FlySafair. Esse trajeto também pode ser feito via transporte rodoviário com a Intercape, por um preço mais acessível. Se você estiver num país vizinho é ainda mais fácil, pois são várias companhias aéreas que dão acesso à cidade.

 

Hospedagem

A cidade é banhada pelos oceanos Atlântico e Índico. Portanto, há várias opções de hospedagens em praias por bons preços. Uma ótima opção é a região mais central ou perto do V&A Waterfront. Nesses pontos há várias opções de restaurantes e lojas, e é muito seguro circular (inclusive, a pé). Como temos um plano de férias da RCI, optamos por ficar num de seus hotéis – o Bantry Bay International Vacation Resort. O hotel estava localizado em uma região nobre e muito segura (Bantry Bay). Como faríamos tours guiados e com traslados, não precisamos nos preocupar em escolher um hotel bem centralizado.

Vista do V&A Waterfront da roda gigante

 

Cape Wheel e ao fundo a Table Mountain

 

Tempo de estadia

Existe uma infinidade de lugares para explorar na Cidade do Cabo. As principais podem ser vistas tranquilamente em quatro dias. Foi o tempo que ficamos hospedados e achamos que foi o suficiente. Talvez um dia a mais para conhecer melhor a região central, poderia ser uma opção. Fomos embora satisfeitos, porém, nunca é demais estender a permanência em uma cidade como Cape Town.

 

O que conhecemos

De Uber, fomos até a região portuária – onde é possível pegar o barco que vai até a Robben Island. Também nesta região fica a Clock Tower, o Two Oceans Aquarium, o V&A Waterfront e a famosa roda gigante. No segundo dia (também de Uber) fomos à Table Mountain e ao centro da cidade. No terceiro dia fizemos o tour das vinícolas, onde percorremos as regiões de Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. O último dia foi reservado ao tour do Cabo da Boa Esperança. Destaque para a Baía Hout, onde pudemos observar as focas, a rota Chapman Peaks, a Reserva Natural do Cabo da Boa Esperança e a colônia de pinguins de Boulder. Fizemos também uma descida de 6 km (de bicicleta) pelas encostas do cabo. Experiência cansativa, porém, inesquecível.

Rodovia que vai até o Cabo da Boa Esperança

 

Anúncio




 

Valores das principais atrações

Os preços das atrações turísticas na Cidade do Cabo não foram muito baratos. Subir de teleférico na Table Mountain, por exemplo, custou R$65 por pessoa. Entradas do Two Oceans, aproximadamente R$ 40. Passeio na Robben Island, R$ 85 por pessoa. Os tours (vinícolas e Cabo da Boa Esperança) custaram aproximadamente R$ 200 por pessoa – com almoço incluso.

 

Quer saber mais sobre os pontos turísticos da Cidade do Cabo? Então leia este post!

Você também pode conferir mais dicas sobre o país no conteúdo Dicas para planejar a viagem – África do Sul.

 



Booking.com

Dicas para planejar a viagem – 4 dias na Cidade do Cabo
Classificado como:                                                            

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: