Não se engane! Quando você viaja, parece que você carrega uma plaquinha pendurada no pescoço com os dizeres TURISTA. Por mais simples e discreto que você seja, quem trabalha com turismo nas cidades consegue identificar, de longe, um turista se aproximando. Muitas dessas pessoas têm as melhores intenções e sim, querem oferecer serviços e produtos que vão facilitar a sua vida na cidade. Mas muitas delas também enxergam no turista uma “presa fácil”, que pode ser enganado. Lamento dizer que eles têm razão ??

Nós mesmos, nas primeiras viagens que fizemos, fomos (MUITO) enganados. Pela empolgação do passeio você acaba aceitando e comprando o que pode – e o que não pode também. Paga preços inflacionados, adquire passeios que não precisa, compra produtos pelo dobro (e até o triplo) do preço… Mas as ciladas de viagem não ficam apenas nas compras, não. Outras rotinas dos turistas podem sair caro (literalmente) se você não estiver atento. Por isso no post de hoje separamos oito dicas que vão ajudar você a não cair nas clássicas ciladas dos viajantes.

 

1 – Não corra riscos com seu dinheiro

Se você vai viajar para o exterior não deixe de pesquisar a cotação da moeda do país de destino. Inclusive, já falamos sobre isso neste post. É importante você sair do país com uma quantia razoável. Mas divida-o de uma maneira segura. Muitos dizem, por exemplo, que ao viajar para a Europa, é indispensável que você deixe todo o seu dinheiro em cartões, como o Visa Travel Money (VTM). Mas nada impede que você deixe uma quantia em dinheiro vivo, caso você precise usar em uma emergência ou se depare em situações onde o cartão não é aceito (o que, de fato, é muito difícil de acontecer). Mas é melhor garantir, não é?

Na Argentina, por exemplo, há muitos cambistas nas ruas oferecendo a troca do dinheiro por uma cotação bem mais baixa que as aplicadas nas casas de câmbio ou bancos. Fique atento! Muitos golpes são registrados na cidade relacionados à troca de dinheiro falso com cambistas. Por isso, observe atentamente as características do país de destino e não corra riscos de perder dinheiro. Ah, e aquela dica básica, mas que não custa reforçar: não deixe todo o seu dinheiro em um único lugar.

 

2 – Viaje para o exterior, pelo menos, “arranhando” o inglês

Com exceção dos países que falam espanhol, é importantíssimo você saber, ao menos, o básico do inglês, para conseguir se virar. Você pode adotar a mímica, o portunhol, o que for…mas em alguns países, isso não será o suficiente. Se você não é fluente no inglês, busque ao menos, treinar as expressões essenciais que você vai precisar para se comunicar no país de destino.

 

3 – Evite que lhe “marquem” como um turista

Algumas cidades tem “métodos” para identificar os turistas no meio da multidão. Em Salvador, por exemplo, lhe oferecem como cortesia uma fitinha do Nosso Senhor do Bonfim. O presente funciona como um certificado de turista. A partir daí, meu amigo, a abordagem passa a ser ainda mais intensa 😀 Em Fortaleza , passeios e almoços em hotéis cinco estrelas são oferecidos enquanto você está tranquilo, caminhando na orla. Mas a contrapartida é uma insistente conversa para oferecer planos de férias (nada baratos). Um agrado ao turista empolgado, que muitas vezes cai em ciladas como essas (como foi o nosso caso hahaha, mas contaremos em outro post). Poderia ficar aqui por horas citando os recursos usados em diferentes cidades. Com certeza você tem que se tornar uma “vítima” para ficar mais atento nas próximas vezes, hahaha.

 

Anúncio




 

4 – Evite levar muitas roupas

Elas só vão aumentar o peso da sua bagagem. Vai para um país frio? Não faça compras no Brasil e adquira casacos enormes, pesados e caros. Na Europa, por exemplo, muitas lojas oferecem peças com valores bem mais baixos que os encontrados por aqui.  Que tal deixar para comprar por lá? Vai para o Nordeste e precisa de uma saída de praia? Chegue na região e confira a infinidade de peças lindas (e muitas delas, artesanais) oferecidas ?? Muitas vezes, a ansiedade faz com que a gente gaste bem mais e carregue a mala de peças que poderiam ter ficado em casa.

 

5 – Adquira apenas o que vale a pena no Duty Free

Chegou no aeroporto e se deparou com produtos que sempre quis ter? Maquiagem, roupa, perfume, guloseimas… Sim, o Duty Free pode ser considerado um verdadeiro paraíso do consumo e faz os olhos brilharem (pelo menos, os meus hehe). Mas saiba que nem sempre os preços oferecidos ali são os mais baratos. Por isso, analise o que realmente vale a pena e não compre por impulso. Lembre-se que essas lojas ficam em locais estratégicos e podem, de cara, lhe fazer acreditar que você precisa daqueles produtos exatamente naquele momento. A dica principal é: deixe para comprar no Duty Free quando você estiver indo embora. Dessa forma, você já fez o passeio pelo país, conferiu se os produtos oferecidos por lá não estavam com valores mais baixos em outras lojas e o melhor: vai conseguir gastar sem culpa, já que você vai fazer as compras com o dinheiro que sobrou da viagem.

 

6 – Não compre tickets em cima da hora

Tem destinos que reservam atrações disputadíssimas. Portanto, se você não quer passar horas na fila ou correr o risco de não garantir o ticket, compre antecipadamente. Informe-se, pois a maioria delas oferecem a opção de venda on-line.

 

Anúncio




 

7 – Cuidado ao experimentar a culinária local

Quando chegamos numa cidade ou país diferente do nosso, é claro que queremos experimentar tudo de novo que o destino nos reserva. Mas novos ingredientes e temperos (em excesso) podem não cair tão bem no seu estômago.  Por isso, vá com calma. Falo por experiência própria que a intoxicação alimentar é terrível, mas intoxicação alimentar em uma viagem é pior ainda 🙁 E você não vai querer comprometer o seu passeio por uma indisposição, não é mesmo?

 

8 – Esteja atento aos vistos e passaportes

Planejou toda a viagem e percebeu que o seu passaporte está prestes a vencer? Ou ainda, que o país que você vai visitar exige visto ou vacinas específicas, que devem ser feitas com meses de antecedência? Não corra o risco de comprometer todo o planejamento por um descuido. Então já sabe, né? Decidiu o lugar que vai viajar, antecipe-se e consulte todos os requisitos que devem ser cumpridos para que você entre e permaneça no país sem problemas. Se você tem dúvidas, o site da Polícia Federal pode esclarecer algumas delas 😉

 

8 dicas para não cair nas “clássicas” ciladas em viagens
Classificado como:                                                

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: